solicite uma proposta
Blog

Métricas e KPI de marketing para relatórios de SEO e conteúdo

No artigo de hoje vamos conhecer as principais métricas de SEO. Sabemos que medir o desempenho de um negócio digital é essencial em qualquer projeto, ao acompanhar as principais métricas e relatórios para SEO conseguimos mensurar o que está funcionando bem em um negócio e o que não está funcionando tão bem. 

Então, se desejamos saber como tomar decisões mais assertivas e ter um olhar mais estratégico do negócio como um todo, é interessante considerar os pontos abordados neste conteúdo. 

As conversões, métricas e relatórios para SEO e conteúdo, são relevantes para acompanhar no relatório básico de SEO, tudo isso faz parte da estratégia digital e aqui é interessante falarmos primeiro sobre as conversões (porque existem tipos diferentes de conversões e muita gente mede só a conversão final e esquece de medir as conversões intermediárias ao longo da jornada). 

Diferentes tipos de conversões

Confira a seguir alguns modelos de conversão para classificar os objetivos e resultados dentro da sua empresa.

Micro-conversões —  são aquelas pequenas conversões que acontecem antes da compra ao longo de toda a jornada. São elas: 

  • Cadastro no site;
  • Inscrição na Newsletter;
  • Pedido de informações no chat;
  •  Download de e-book ou catálogo de produtos;
  •  Visualização de um vídeo;
  • Comentário em um post;
  • Interesse: medido quando um usuário fica mais de cinco minutos no site ou se visitou mais de cinco páginas sobre um determinado produto. 

Esse tipo de comportamento demonstra que ele (usuário) tem um interesse estabelecido sobre aquela informação e, quando estamos executando uma estratégia de inbound (de geração de leads) é bem legal porque conseguimos cookiar esse usuário, identificá-lo,  saber quando ele volta outras vezes e consome conteúdo novo, o que demonstra o grau de maturidade para compra do produto.

Macroconversões — são as vendas em si, é uma conversão que representa “dinheiro no bolso”, sendo eles:

  • Pedido de orçamento;
  •  Reserva de produto;
  •  Compra online;
  •  Compra online com finalização offline;
  • Etc.

Tudo isso representa faturamento, por isso separamos microconversões, que são pequenas tarefas que o usuário executa, e as macroconversões, que são realmente as vendas que estão acontecendo. Assim, conseguimos transformar toda essa audiência em dinheiro.

Principais Métricas de SEO e Conteúdo

Separando as micro e macroconversões, vamos especificamente falar de métricas. Temos dois ambientes de métricas: as métricas para SEO e as métricas para conteúdo. Ainda que algumas dessas métricas sejam muito parecidas e trabalhem dentro de todo um universo que é muito próximo, podemos separar isso em dois grupos.

Continue assistindo através do vídeo completo: https://bit.ly/3otuOes

Métricas de SEO

São métricas um pouco mais técnicas. Foram separadas em grupos para ficar mais fácil de analisar, para fazer mais sentido na hora de olharmos para os dados. Antes de mais nada vamos relembrar sobre os processos do Google: Crawling (rastreamento), indexação (ir para o índice do Google) e o ranqueamento (aparecer no ranking). Então as métricas SEO estão separadas dessa forma.

Métricas de Indexação

  • Taxa de rastreamento do site —  isso o próprio Google informa no Search Console;
  • Frequência de rastreamento —  é importante entender de quanto em quanto tempo o Google está rastreando um site;
  • Atualização dos sitemaps — importantíssimo, já tivemos clientes com problemas críticos de sitemap, usando plataformas conhecidas, plataformas famosas do mercado de e-commerce que têm problemas críticos, então é muito importante analisar o quanto isso está atualizado e o quanto está realmente sendo feito;
  • Quantidade de páginas indexadas — em sites que geram muito conteúdo é normal que essa quantidade de páginas vá subindo semana após semana.

Métricas de Ranking

São as métricas visíveis para os clientes, as mais conhecidas.

  • Quantidade de posições no top 3 — são aquelas que geram 60%, 75%  dos cliques, no caso, de primeira página, posições de segunda página e o total de posições que o site detém em todas essas categorias;
  • Rankings que subiram de um mês para o outro;
  • Rankings que caíram de um mês para o outro — esse tempo vai variar de mercado para mercado, pode-se medir de semana em semana ou até mesmo diariamente;
  • Rankings que mais convertem leads e vendas — em um processo de migração que fizemos para um cliente ele tinha 1.200 páginas indexadas, dessas havia o conjunto de 28 páginas que eram as mais importantes e que não poderiam perder o posicionamento de jeito nenhum. 

Nessas páginas fizemos o monitoramento hora a hora durante a migração para garantir que estava tudo certo. Verificamos manualmente a posição de cada uma delas ao longo do processo de imigração para evitar qualquer tipo de problema;

  • Rankings a serem conquistados — descobrimos, através de inteligência competitiva, rankings que são importantes para os concorrentes e que  eventualmente não temos e precisamos conquistar;
  • Rankings a serem protegidos — aqueles em que temos uma posição altamente privilegiada e temos que monitorar se os concorrentes estão criando estratégias específicas ou conteúdo específico para aquele determinado ranking, para nos movermos, atualizarmos aquele conteúdo antes que eles façam alguma ação e assim, evitar a perda de uma posição relevante no Google.

Métricas de SERPing

As SERPs são as páginas de resultados do Google. Então podemos monitorar:

  • Se a intenção de busca é por texto, por vídeo, por imagem, por um glossário;
  • Qual é o tipo de SERP que está sendo apresentada;
  • Se tem Rich Snippets — se precisamos usar conteúdo estruturado;
  • Qual é a taxa de competição da palavra-chave — se é um termo altamente competitivo, se é medianamente competitivo ou se tem baixa competitividade. Isso tudo é possível monitorar, tem ferramenta que informa o percentual de competição de cada palavra no singular, no plural, em todos os formatos possíveis, cabe decidir se isso deve ser monitorado e para quais palavras isso precisa ser considerado. 

Métricas de Conteúdo

Precisamos medir como o conteúdo está sendo consumido para entender se ele está funcionando ou não, entender o que funciona melhor ou o que devemos fazer mais ou, então, o que não está funcionando e precisamos fazer menos.

As métricas de conteúdo estão separadas em grupos de análise

Primeiro, nós devemos falar sobre as métricas de consumo do conteúdo — que vão passar por aquelas métricas básicas de:

  • Visitas;
  • Visitantes;
  • Página por visita;
  • Tempo médio no site;
  • Tendência de visitas;
  • Conteúdo mais lido;
  • Palavras-chave mais importantes para o negócio;
  • Top Landing Pages em termos de tráfego;
  • Top ofertas de conteúdo mais importantes;
  • Tráfego do blog isoladamente – porque em muitos casos temos que o site é uma coisa, o blog é outra; o e-commerce é uma coisa o blog é outra; então, podemos isolar esse tráfego dentro do Google Analytics;
  • Assinantes de e-mail — se a lista de clientes está crescendo, a lista de leads está crescendo ou está andando.

Métricas de compartilhamento/engajamento

O quanto de interação acontece de:

  • Comentário;
  • Compartilhamento;
  • Engajamento;
  • Novos fãs e seguidores do conteúdo (se estivermos medindo redes sociais);
  • Tempo médio na página;
  • Página por visita;
  •  Visitas novas vs. retorno;
  • Links de referência adquiridos — eventualmente bons sites com muito conteúdo ganham links orgânicos e devemos monitorar quantos deles ganhamos em média por mês e quantos geramos através de relacionamento, de relações públicas, com blogs, com influenciadores etc.

É importante trabalhar com influenciadores que tenham um blog além da rede social — o link dentro de uma rede social não tem uma relevância para SEO como um link dentro de um blog.

Métricas de Geração de Leads

Além das métricas anteriores, também existem outros grupos relevantes ao analisarmos as ações digitais. Para mercados que trabalham com geração de leads há:

  • A origem/fontes de leads — cada software trabalha com uma nomenclatura diferente;
  • O crescimento de leads;
  • A qualidade dos leads — se estamos gerando conteúdo que está atraindo leads qualificados para o negócio ou leads que estão muito no topo de funil, ou, que não são a persona ideal que precisamos para vender;
  • O custo por visitante;
  • O custo por lead;
  • A fase do Funil — é mensurável de acordo com o tipo de conteúdo, logo, cada conteúdo que o cliente baixa está relacionado com uma fase da jornada. Assim, podemos nomear isso no software de automação, no software de métricas, e acompanhar quantos leads temos em cada fase do Funil, para então fazermos a integração com a equipe comercial, equipe de SDR e equipe de vendas.

Métricas de Vendas

Dentro das métricas de vendas feitas pela geração de leads é importante considerar: 

  • O número de leads qualificados;
  • O número de leads convertidos (vendas);
  • O custo total por lead (CPL) — o qual é fundamental tanto para a área de Marketing quanto para a área comercial;
  • O custo médio por venda (CPV);
  • O custo de aquisição de cliente (CAC) — quando essa venda é feita exclusivamente online. 

Geralmente quem trabalha com custo por venda tem uma equipe comercial e essa conversão acaba sendo feita num atendimento, no telefone etc; já quando temos uma startup, pode acontecer num software, num produto por assinatura entre outros. 

Assim, temos uma conversão direta na página de vendas e essa métrica acaba sendo o CAC. Basicamente, é a mesma métrica, mas em contextos distintos acaba tendo nomenclaturas um pouco diferentes e as atribuições de quem é o responsável por aquela conversão vão ser um pouco divergentes em cada mercado.

Métricas de Satisfação de Clientes

As métricas de satisfação de clientes também podem ser usadas para o conteúdo. Sendo elas: 

  • Fase do Funil;
  • Problemas a serem resolvidos — importantíssimo para a geração de leads, mas para o e-commerce não tem tanto impacto;
  • Facilidade de entrar em contato — pode ser avaliado se o cliente teve facilidade para entrar em contato no chat, no e-mail, no canal de atendimento, no WhatsApp etc. Essa avaliação é fundamental para entender o canal principal de conversão e/ou os canais que devemos privilegiar;
  • Satisfação com o processo de compra — o quanto aquele processo foi satisfatório na experiência do cliente;
  • Net Promoter Score (NPS) – para saber se o cliente recomendaria a empresa para um amigo.

Essas são as principais métricas e relatórios para SEO que podemos avaliar em termos de satisfação e, em alguns casos, faz sentido conectá-las às métricas de conteúdo para entendermos o quanto essa frente está ajudando a melhorar a percepção de valor da marca, do produto e do Funil como um todo, fazendo aumentar a taxa de conversão para o negócio.

Precisando de ajuda para aumentar as visitas orgânicas e transformar a audiência em vendas? Confira os detalhes do serviço de Consultoria de SEO.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound