solicite uma proposta
Blog

Como aumentar as vendas com a criação de conteúdo?

No marketing digital, existem diversas estratégias que envolvem retorno imediato ou outras que são mais para a obtenção de bons resultados a longo prazo. A de criação de conteúdo, por exemplo, pode impactar diretamente no relacionamento com os futuros clientes, mas precisa de um tempo até se consolidar.

Esse tipo de trabalho pode ajudar a vender mais e alcançar diversas pessoas, por isso, acaba sendo uma forte aliada para e-commerces, pois melhora o posicionamento de busca, a dominação das SERPs, presença em diferentes etapas do funil de conversão (até mesmo na fase da educação) e captação de cliente. 

Além disso, essa estratégia tem resultados perenes e que não param de evoluir, mesmo se o investimento for pausado, o que é bem diferente de mídias pagas. Por essa razão, é importante complementar uma área do marketing digital com outras, a fim de estar em diversos locais no momento certo e impactar o usuário certo.

Quer saber mais sobre como a criação de conteúdo pode te ajudar a aumentar as taxas de vendas e a qualificação do seu tráfego? Continue a leitura e aprenda tudo o que precisa para ter resultados! 

6 vantagens de investir em criação de conteúdo para vender mais

Como já introduzimos acima, a criação de conteúdo pode trazer diversos benefícios e aumentar suas vendas, porém, se quiser entender mais a fundo como essa estratégia pode ajudar no dia a dia, leia os tópicos a seguir!

1. Potencializa a jornada do usuário

A criação de conteúdo não tem o intuito de ser uma comunicação agressiva ou muito comercial e sim mais educativa e informativa, por conta disso ela acaba atuando mais no início da jornada de compra.

Isso quer dizer que, mesmo antes do usuário descobrir que tem um problema e que precisará de uma marca “x” para solucioná-lo, você já estará nutrindo um relacionamento com ele, podendo fazer com que ele vire, até mesmo, um brand lover e leve o nome da sua marca para outras pessoas, bem como volte para novas compras. Por isso, esse tipo de trabalho é fundamental, pois acaba potencializando a jornada digital do usuário. 

Sabemos como é importante estar presente no momento correto, no lugar certo e apresentar o conteúdo adequado para impactar os possíveis clientes de maneira positiva e que faça sentido para a vivência atual dele. Com uma boa criação de conteúdo, é possível conseguir tudo isso.

2. Gera relevância

O segundo benefício que trazemos é o valor que os usuários agregam às marcas que os ajudam quando mais precisam. Aqui, estar presente no momento certo e entregar um conteúdo relevante faz toda a diferença.

Com isso, sua marca se torna relevante para o usuário e, assim, ele pode efetuar a compra, recompra e até mesmo indicar o seu produto e/ou serviço para as pessoas que convivem com ele.

3. Humaniza a comunicação

Uma coisa que aprendemos com os grandes varejistas com o passar do tempo é que não adianta só encher os usuários de anúncios, sem uma estratégia por trás disso. Além de estar jogando dinheiro fora, você estará minando a possibilidade de ter uma boa relação com esses usuários, pois será inconveniente.

Já um marketing digital integrado com estratégias de inbound, mídias pagas, SEO, e criação de conteúdo pode render frutos por anos e mais anos. Quando trabalhamos tudo isso da maneira correta, é possível humanizar o contato com o usuário, mostrar uma preocupação e os valores da marca, causando uma maior identificação.

4. Gera credibilidade

Como já falamos anteriormente, é fundamental que o contato com o usuário seja feito no momento correto para não prejudicar a experiência dele com a marca. Com um bom serviço de criação de conteúdo, além de criar um ótimo relacionamento com o cliente e se mostrar relevante, é possível gerar credibilidade para a marca, fazendo-a se tornar uma referência no segmento.

5. Quebra objeções

Um outro ponto que podemos citar como uma das vantagens da criação de conteúdo é a quebra de objeções. Mas, o que isso quer dizer?

A quebra de objeções nada mais é do que pensar nas argumentações necessárias para convencer o lead de que o seu produto e/ou serviço é o que faz mais sentido para ele no momento. Isso em cada etapa do funil, pensando em cada possível objeção desfavorável e as suprindo com uma boa comunicação.

Estar pronto para solucionar as dúvidas sobre os produtos e quebrar a resistência dos usuários com a compra é um ponto-chave na hora de conseguir aumentar as suas vendas.

6. Gera proximidade com o público

Por fim, o último benefício que queremos ressaltar tem relação com a construção de um vínculo saudável entre a marca e os futuros clientes. 

Hoje, os profissionais de marketing entendem que o relacionamento com os usuários não acaba após a compra e que se aproximar do público e trabalhar uma relação ganha-ganha pode trazer ótimos resultados, economizando muito esforço para captar novos leads e, com isso, também vem a economia de dinheiro. 

Por essa e pelas razões apresentadas anteriormente, é essencial trabalhar uma boa estratégia de criação de conteúdo. 

Agora que você já sabe a importância de investir nesse trabalho, que tal saber como produzir conteúdos que vendem? Veja!

Como produzir conteúdos que vendem? Confira 4 pilares!

A seguir, descubra quais são os 4 pilares para construir uma boa estratégia de criação de conteúdo que o ajude a vender mais!

1. Conheça o seu público

O primeiro pilar e um dos mais fundamentais na hora de construir uma boa comunicação é conhecer o seu público. Para isso, é importantíssimo fazer um levantamento de informações esporádico e constante do que ele está buscando, além de ter um estudo de personas atualizado e bem definido.

Aqui, vale lembrar que não adianta seguir sem uma segmentação de público, pois quem quer falar com todo mundo, acaba não falando direito com ninguém, então esse tópico é essencial.

Existe a possibilidade de iniciar uma criação de artigos específicos para atender ao que seu público busca, mesmo que sejam pesquisas sazonais, e em alguns momentos será necessário atacar isso também.

Defina a persona 

Como citamos acima, é importante definir a persona da marca, e isso significa investigar o comportamento de seus clientes, os desejos, objetivos, meios de comunicação que mais usam – isto é, é preciso mapear quem consome seu produto/serviço para saber qual é a melhor maneira de falar com ele em cada uma das etapas de compra.

As personas precisam ser fundamentadas em dados demográficos, de comportamento e de mercado, pois só assim é possível descobrir realmente quais serão os próximos passos mais assertivos na criação de conteúdo.

2. Jornada do cliente

Conhecer a jornada que o seu cliente faz desde a descoberta do problema até a resolução é muito importante para saber como o mercado funciona. Vale lembrar que, em cada segmento de mercado, a jornada que o lead faz até a compra é diferente, então é essencial fazer um estudo e entender esse comportamento dentro do segmento que sua marca está inserida.

Aqui também é o momento de criar um storytelling sobre a sua empresa e seu mercado de atuação para que consiga tirar todas as dúvidas que os usuários possam ter e, com isso, fazer com que eles convertam sem nenhum receio.

Traçar a jornada do cliente também pode fazer com que sua empresa se torne uma referência para as outras do segmento, então investindo em criação de conteúdo você pode ganhar autoridade e legitimidade.

3. Defina objetivos específicos para cada etapa 

De nada vale conhecer o público e definir a jornada dos clientes se não houver objetivos específicos delimitados para cada uma das etapas. Se isso acontecer, você estará jogando esforço e dinheiro no lixo.

É essencial que o conteúdo seja direcional e de acordo com cada um que chega até a sua marca, partindo do pressuposto de que estão em níveis de compreensão diferentes. Para isso, é necessário voltar alguns passos para trás e ter a persona bem delimitada.

Funil de vendas 

Nós falamos muito sobre entender o momento que cada usuário está para só então traçar uma estratégia de comunicação mais assertiva para ele, e isso só é possível por conta do funil de vendas. 

Caso você não conheça esse instrumento muito famoso no marketing digital, confira sua estrutura a seguir:

Fonte: Go Find

Ele é um modelo estratégico que mostra a jornada do cliente, desde o primeiro contato dele com a marca até a conversão final. Com isso, é possível traçar um melhor planejamento e criar conteúdos para cada um dos estágios do funil.

Mas, para realizar a criação de conteúdo para cada um desses momentos, é importante entendê-los e saber qual tipo de conteúdo é interessante produzir, então, a seguir, iremos esmiuçar isso:

  • Começo de funil – Aprendizado, descoberta e reconhecimento do problema: conteúdos mais educativos, explicando o que é, como funciona, qual é a origem, o porquê – aqui, são explorados mais as short head , keywords com maior volume de busca e mais abrangentes.
  • Meio de funil – Consideração da solução – conteúdos mais profundos, com dicas de como usar, como fazer, passo a passo, até com um tom de voz mais técnico – as long tails, que são palavras-chaves mais específicas, já começam a aparecer nesse momento.
  • Final de funil – decisão de compra: Abordar as vantagens, mostrar os cases de sucesso, depoimentos, test drive, open box (YouTube) – no fundo do funil já é interessante ser mais “comercial”, falar sobre os argumentos para o usuário comprar seu produto e/ou serviço etc.

4. Escolha o formato do conteúdo

Além de conhecer o público, definir a jornada de venda e entender o caminho que o cliente faz no funil até a conversão, para fazer a criação de conteúdo relevante, é preciso escolher o formato correto. 

Existem diversos formatos, sendo os principais: 

  • Texto (Blogposts)
  • Artigos (Autoridade)
  • Páginas de produtos ou serviços
  • Áudio 
  • Vídeo 
  • Infográfico 
  • E-book
  • White papers 
  • Landing pages
  • Pillar pages
  • Web stories
  • Podcasts
  • Webinars
  • etc.

Aqui, vale ter na cabeça que os objetivos para cada um deles são diferentes e que eles podem ser aplicados na estratégia de maneiras distintas e em momentos diversos.

Hora de colocar a criação de conteúdo em prática

Agora que você já sabe quais são os pilares de uma estratégia de criação de conteúdo, que tal colocar todo o aprendizado em prática e conferir algumas dicas extras? Veja a seguir!

Utilize técnicas de SEO

Quando falamos de criação de conteúdo, muitas vezes pensamos mais no lado criativo da coisa e não nos fatores técnicos, mas as otimizações e boas práticas de SEO para e-commerce são fundamentais para que a estratégia renda bons frutos.

Não adianta nada fazer um conteúdo incrível e ele não chegar até as suas personas e futuros clientes, não né? Por esse motivo, é exatamente nesse ponto que as técnicas de SEO entram. As palavras-chave, por exemplo, são essenciais para que uma página chegue às primeiras posições do Google e, assim, consiga ter mais visualizações e alcance.

Além disso, o conteúdo vai além de blogs, se estendendo também para as páginas de produtos e serviços, o que impacta diretamente nos resultados e conversões. Por isso, é essencial ter alguém com experiência para tocar essa estratégia e implementar as boas práticas de SEO.

Caso você não tenha um braço especializado nisso aí na sua empresa, vale super a pena investir em uma consultoria de SEO. Pronto para alavancar os resultados do seu projeto?

Refina os materiais 

Sabemos que muitas vezes as pessoas que trabalham com marketing digital ficam muito focadas na conversão e isso faz com que o relacionamento com o cliente fique estremecido por causa de gaps que não são cobertos. 

E é aí que entra a importância de mesclar conteúdos, contendo aqueles com foco em educar seu cliente, os com caráter mais informativo e outros mais comerciais para cobrir o fundo do funil. 

Então, um dos segredos é mesclar sua estratégia. Trazer vários formatos para várias etapas do funil. Assim, você conseguirá atingir quem precisa independente da etapa em que ela estiver.

Legendas e títulos 

Os títulos são o primeiro contato que o leitor terá com o seu conteúdo, por isso é importante dedicar um tempo maior pensando nele. Existem algumas técnicas do marketing que podem facilitar esse processo, sendo uma delas os gatilhos mentais, que são super conhecidos e podem impactar pessoas em todas as etapas do funil.

O Copywriting também é outra técnica que pode ajudar bastante nessa hora, além de fazer com que você tenha seus objetivos cobertos na hora da criação de conteúdo. Caso você não tenha um profissional focado nisso, será necessário encontrar um copywriter para ajudar a alavancar os números.

Call to action

O CTA (Call To Action) são as chamadas para a ação, seja ela a leitura de outro conteúdo do blog, a inscrição em sua newsletter ou até mesmo a própria conversão. Aqui, geralmente são usados termos como “Acesse agora”, “Saiba mais” etc. 

Na criação de conteúdo essa etapa é essencial para direcionar os usuários para o que queremos que ele faça, pois de nada adianta um conteúdo “jogado” sem uma estratégia ou objetivo. O CTA auxilia para que o objetivo seja cumprido.

Distribua o conteúdo

Como falamos anteriormente, de nada vale um conteúdo perfeito se ele não chegar até quem precisa dele, então é necessário investir tempo em divulgar o conteúdo: em redes sociais, e-mail marketing, webinars, grupos de whatsapp, entre outros canais.

Outro ponto importante é que a criação de conteúdo deve ser constante, pois sempre terão novos temas relevantes para os seus usuários e são materiais que ficarão disponíveis, trazendo mais tráfego orgânico.

Mensure os resultados

Por fim, nossa última dica prática é a mensuração dos resultados, já que só assim será possível descobrir se a estratégia de criação de conteúdo está surtindo os efeitos esperados. 

Nada é escrito em pedra, então caso a estratégia ou os formatos não estejam trazendo os resultados esperados, é possível ter um termômetro mais prático do que a sua audiência quer ou não consumir e, assim, ajustar a estratégia, até ela chegar na sua melhor versão.

Algumas das métricas que são avaliadas aqui são:

  • Cliques
  • Impressões
  • Sessões orgânicas
  • Duração por sessão
  • Visitas na página
  • Número de leads
  • MQL (Marketing Qualified Lead ou Leads Qualificados pelo Marketing)
  • SAL (Sales Accepted Leads ou Leads Aceitos por Vendas)
  • etc.

E aí, gostou de aprender mais sobre esse universo de criação de conteúdo? Então, que tal se aprofundar no tema e conferir nosso treinamento em SEO e produção de conteúdo estratégico? Acesse o material!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound