solicite uma proposta
Blog

Por que investir em SEO?

Por que investir em SEO? Por que SEO é tão competitivo? Por que as pessoas querem tanto os primeiros lugares no Google? Essas e outras perguntas serão respondidas no decorrer do artigo, mas basicamente, o Google tem o controle de 97% do mercado, então se queremos aparecer para essas pessoas, precisamos investir em SEO e ler este artigo para nos aprofundarmos no assunto.

Existe uma falta que muitos gestores possuem, isto devido a forma como o sistema de ensino é projetado. A maior parte dos cursos de graduação na área de marketing, publicidade e propaganda, comunicação social, relações públicas foi pensada nos anos 90, e a maior parte das pós-graduações acabam não dando a ênfase necessária para os principais canais de aquisição.

A graduação fornece aquele 360° sobre quase tudo, dá aquela visão geral, mas não entra no aspecto específico, então muitos profissionais ainda não entendem alguns números, alguns porquês, e é nesse momento que se torna importante dar destaque às questões certas.

Quando se pensa em porque investir em SEO no cenário brasileiro, no ambiente competitivo, fala-se basicamente do Google. O Google tem 97% do mercado, já o Bing — que é o buscador da Microsoft — tem 1,75%, em diferentes estatísticas e esse número varia um pouco, podendo chegar a 2,5% ou 3% em algumas pesquisas. O Yahoo ainda tem gente mais saudosista que gosta de usá-lo. Existem outros buscadores como o DuckDuckGo — que é americano — e não tem anúncios. Há um buscador Russo, o Yandex, em que as pessoas entram mais por curiosidade.

No Brasil, se discute fazer buscas no Google, já em outros países, em outros contextos, eventualmente, o Bing terá uma participação de 10 a 15%. Mas, o Google ainda é o majoritário, aquele mais popular, mais utilizado no mundo todo. Portanto, quando pensamos em como ter resultados com o SEO no Brasil, basicamente falamos de Google e esse é um cenário muito difícil de mudar. Uma informação que não é divulgada de forma ampla porque competitivamente não é interessante é a de que, a palavra mais buscada no Bing é “Google”. Ou seja, as pessoas entram no Bing, buscam o Google e fazem sua pesquisa nele.

Uma vez criado um hábito, é muito difícil mudá-lo e quando pensamos em termos de marketing há uma complexidade em criarmos um hábito em alguém, mas é possível tirar proveito daqueles já instalados. Então, em vez de querermos plantar um determinado comportamento na cabeça de um cliente, podemos tirar vantagem daquilo que já está lá e usarmos o cenário que ele já está acostumado.

O Valor da Busca e porque Investir em SEO

Em termos de volumes globais, têm-se mais de um trilhão de páginas indexadas no mundo, ou seja, uma página que faz parte do índice do Google, tem um robô chamado de kohler e que faz o rastreamento das páginas da internet. Em algumas literaturas do SEO isso é traduzido do jeito errado, significando que ele (o robô) faz o “rastejamento das páginas”. Mas, tecnicamente, o ideal seria chamá-lo de “Spider”, ou seja, uma aranha, porque ele navega pela web, pela teia. Então, rastrear as páginas é um conceito mais contemporâneo, mais fácil de compreender.

O Google rastreia várias páginas em todos os sites, mas ele não indexa todas as páginas, tem pedaços de um site que podem ser bloqueados pelo robô do Google e tem espaços que podemos solicitar que não sejam exibidos — existem técnicas de SEO para isso. Mais uma vez, reforçamos a importância do porque investir em SEO.

Na prática, é importante saber que o Google vai rastrear tudo — até as partes restritas do site e que não estiverem em um nível de segurança com senha, banco de dados, com bloqueios em nível de Servidor — o Google vai  conseguir rastrear. Então, se colocamos na Internet, basicamente, o Google vai encontrar de alguma forma.

Mas podemos solicitar que determinadas partes não vão para o índice. Então, quando se fala de um trilhão de páginas indexadas, são aquelas que efetivamente foram para o índice do Google. São mais de 16 trilhões de buscas realizadas por ano, ou seja, no Google, são 75 mil buscas por minuto no mundo todo. É um número bastante representativo e 90% dos usuários de internet usam sites de busca, costuma-se dizer que os outros 10% estão sem acesso ao wi-fi, isto porque é difícil encontrar alguém que não use a busca.

Mas, para elucidar, existe um perfil de usuários de uma geração mais nova que tem um menor hábito de uso da busca — não significa que eles não usem, mas utilizam menos —, isto porque quando chegaram na idade em que estavam alfabetizados e puderam ter acesso à tecnologia (um tablet, um computador, um smartphone, algum tipo de acesso à internet) já existia o ambiente das redes sociais e, a partir disso, muitos desses jovens se acostumaram a usar internet por esse meio e também dos aplicativos. Com isso, obtiveram uma familiaridade um pouco menor com o uso da busca.

É comum estudantes de graduação não saberem fazer uma busca no Google, assim como 38% da população brasileira é analfabeta funcional e é incapaz de ler um parágrafo e interpretar o texto. Mas, 90% dos usuários da internet ainda fazem buscas, então para uma massa de consumidores é importante a presença das empresas neste canal. 

Porém, para alguma eventualidade, localização de produtos e mercados específicos a rede social vai ser extremamente importante a ponto de ser maior que o das buscas.

Em 95% dos mercados têm-se a busca como o maior canal digital, realidade essa extremamente presente no e-commerce e na geração de leads, onde nota-se uma característica da rede social ser maior que a busca em alguns itens de consumo muito ligados a influenciadores e a estratos específicos da sociedade. Ainda assim, para a maioria das pessoas, a busca é o principal canal de aquisição. 

Portanto, se a preocupação está no volume de vendas, tecnicamente com o ROI, olharemos para a busca. Do contrário, caso tenhamos uma preocupação com o branding, com construção de marca e relacionamento, faz sentido olharmos também para o universo de redes sociais.

Search Engine Marketing

É de extrema relevância a divisão técnica do que é SEM e o que é SEO. Mesmo profissionais muito experientes do mercado, com mais de vinte anos de digital costumam usar esses termos de forma equivocada. Portanto, é importante entendermos a diferença entre eles.

Existem três ambientes dentro da página de resultados do Google, essa página de é conhecida como SERP (Search Engine Results Page). Então, como veremos na imagem abaixo, uma busca por tênis Nike, por entender que é uma busca comercial, o Google apresenta anúncios do Google Shopping, do Google Ads e também os resultados orgânicos.

Tecnicamente, na divisão, primeiramente são os Ads e depois o SEO, onde o conjunto dessas duas coisas é o SEM (Search Engine Marketing). Geralmente no mercado e principalmente em agências de publicidade, em especial as agências tradicionais, quando mencionam que será montada uma estratégia de SEM, na realidade é uma estratégia de mídia. Porém, quando se fala em SEM temos que olhar tanto para anúncios e para o orgânico juntos.

Quando montamos uma estratégia de Ads, Search Ads ou de Google Ads, então estamos falando apenas de anúncios. Essa divisão é importante porque, muitas vezes, uma agência vai entregar um plano de mídia para o cliente ou para o anunciante e diz que está fazendo SEM. Isto é, o cliente acha que está levando as duas coisas (orgânico e anúncios), mas na verdade está levando só a metade da audiência. Como a maioria das pessoas ainda prefere clicar em resultados orgânicos mais do que resultados patrocinados, se o cliente estiver fazendo só anúncio está deixando uma boa parte dos resultados fora da sua estratégia.

Portanto, quando se fala de SEM é o total da busca e o SEO apenas o orgânico. Já o Ads refere-se à Google Shopping ou rede de pesquisa — como esse resultado é chamado. Nessa parte patrocinada entra também a rede de display que são os banners, a mídia que usa o Google para anúncios.

É incrível quanto uma palavra tão usada no mercado pode ser tão pouco explorada? Mas agora que você entende o que é SEO e sua diferença do SEM, está na hora de entender a importância de posicionar o site na primeira página do Google. Confira nosso próximo artigo dessa série: “Porque é importante estar na primeira página do Google?”

Consultoria de SEO 

A performance do seu site nos buscadores diz tudo sobre sua reputação, seu alcance e, principalmente, suas vendas.

Nosso processo de trabalho é focado em alcançar os seus resultados!
Pronto para aumentar sua audiência?

Clique aqui e solicite uma proposta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google
Spotify
Consent to display content from Spotify
Sound Cloud
Consent to display content from Sound